Miscelânea

Anéis; chicletes; café; cigarros; cinema; vinil; tatuagens; maquiagem de mais; amor de mais; inteligência de menos. Rímel; cílios colados; unhas descascadas; dedos calosos. Orelhas cicatrizadas; feridas abertas. Peito em fúria – olhos de cigana dissimulada! Tenho mais recordações do que teria se tivesse mil anos! Banho de chuva; rosto borrado. Medo de tudo e de nada. Insegurança; piadas; risos; desespero. Eu só queria ser feliz, cara. Gorda, burra, alienada e completamente feliz. Cidadã do mundo inteiro; cosmopolita; não pertence a lugar algum. Apaixonada pelos próprios pecados, filha de uma geração mastigada que a cospe todo dia. Órfã de um Deus que não existe. Botas plataforma, escarro. Piedade não é amor, nem é afeto a ânsia do desejo. Escrava das próprias vontades, esmagada pelo moralismo que se diverte em ferir. Uma vida cheia de lombadas e verificadores e pardais eletrônicos que impedem de acelerar – mas não pára. Não pára. A multa estimula. A proibição é a quinta marcha. A vida é cheia de batidas e mortos que apodrecem nas ferragens. Ferragens. Brincos de lata; sorvete, doces. Muitos doces. Muitas calorias. Correr; correr de si. Correria. Emagrecer. Ser magra ou morrer tentando. Correr na esteira enquanto come. Correr e rir. Eu só queria ser feliz, cara. Gorda, burra, alienada e completamente feliz. Obscenamente feliz. Um dia, quem sabe.

 

 

As frases em itálico não são minhas. Pertencem aos seguintes autores: Baudelaire, Caio Fernando Abreu, Machado de Assis e Oscar Wilde.

Anúncios

7 thoughts on “Miscelânea”

  1. Porra, Sun. Sem brincadeira, meus sentimentos quanto a esse texto poderiam ser traduzidos na seguinte ‘palavra’: dsmkghfklçdjghça ;_;
    Você, como sempre, me surpreendendo. Essa combinação de palavras + frases de textos alheios que encaixaram tão bem… Ficou maravilhoso *0*

    “Cidadã do mundo inteiro; cosmopolita; não pertence a lugar algum. Apaixonada pelos próprios pecados, filha de uma geração mastigada que a cospe todo dia. Órfã de um Deus que não existe.”

    São textos como esse que confirmam: todo mundo deve ler os textos da Sunnie!

  2. “Medo de tudo e de nada. Insegurança; piadas; risos; desespero. Eu só queria ser feliz, cara.”
    Ahn, maravilhosa, como sempre. Original, bem construído, bem profundo. Cheio de belas referências. Parabéns, mil vezes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s