Ela e eu

Ela mexeu nos cabelos pintados e sorriu um sorriso de dentes manchados de batom vermelho. Piscou para mim com seu tique nervoso forçado e fez como se quisesse me seduzir com as pernas entreabertas e a saia que não cobria nada além do mínimo. O cheiro de bebida que vinha dela era tão forte que quase me deixava tonto.

– Mas então – eu comecei e ela ergueu as sobrancelhas, pousando a mão sob o rosto e me conferindo uma atenção que quase me constrangeu. – Você é figurinha fácil, não é? Soube que está sempre por aqui.

– Bom jeito de começar uma conversa – ela riu e eu me perguntei qual era a graça. – Sim, eu gosto daqui. As pessoas me conhecem, os caras me pagam uns drinques, as meninas querem saber onde eu comprei o meu sapato, essas coisas. Acho que é por isso que vale a pena.

– E seu apelido, como era mesmo?

– Camaleão.

– Engraçado – eu fiz cara de quem achava mesmo aquilo, e ela rebateu o gesto como se concordasse. – Engraçado mesmo. Por que isso?

– Porque eu gosto de mudar, sabe – ela coçou a nuca com as unhas imensas, fingindo pensar. – Eu sou assim. Gosto de ficar diferente. Mudo toda semana, de verdade. Eu me visto como homem às vezes. As meninas me acham gatinho. Sei lá. É bom brincar com os gêneros, até porque eu acho todos os gêneros uma grande babaquice. Tem gênero pra cacete hoje em dia, né? Cê pode ser mulher e ser homem, ser homem e ser mulher, ser homem e se vestir como mulher, mas gostar de mulher… Isso é gênero ou sexualidade? Nem sei. Mas eu gosto de ser diferente. Eu gosto de mudar de cabelo, de roupa, de cara, de bunda.

– Mas por quê?

– Porque é bom, ué – ela deu os ombros. Ela era inegavelmente mulher naquele dia. – Todo mundo me corteja. Todo mundo quer saber quem eu sou. Todo mundo se importa. E quando eu venho aqui, sou eu, a luz e todo mundo que me deseja. Todo mundo que quer ser eu. Mas não pode, porque eu sou uma a cada semana. Eu sou uma a cada hora. Eu posso ser outra pra você, agora, se eu tirar a minha roupa. Aqui por baixo tem tanta história que você ficaria chocado.

– Como assim?

– Eu tenho uma tatuagem aqui, ó, no cantinho do quadril. Tem uma letra de música, tem toda a minha vida cravada na minha carne de um jeito que ninguém nunca viu ou entendeu mais do que eu. Tem eu inteirinha só pra mim, aqui por baixo.

– E por fora?

– Por fora tem o que eu quero ser hoje, tem o que eu quero ser amanhã, tem aquilo que eu quero que você veja. Tem eu assim, totalmente pálida e totalmente fodida e totalmente bêbada e desejando mais uma tequila. Sabe o que é? É que essa máscara pesa pra caralho e eu não tô agüentando mais levá-la amarrada a essa cara de merda. Eu sou feia demais, mas se eu fingir que não sou, você vai acreditar e me dar todo o valor que eu digo pra você que eu mereço. Eu queria ter um rosto angelical que me permitisse dispensar estojos de maquiagem e cílios postiços. Se eu fosse minimamente bonita, eu não teria que fingir que eu sou. Eu simplesmente seria. Se eu fosse minimamente diferente, eu não teria que torrar meu salário com tinturas e perucas e sapatos que me fodem as solas dos pés.

– Por que você faz isso? – Eu perguntei, então, embasbacado. Havia lucidez onde eu pensava que só havia pose. – Eu não entendo.

– Porque é uma merda ser invisível – ela bateu no meu joelho, rindo de um jeito esquisito. E eu pensei que ela estivesse chorando, mas não estava. – Então eu me faço completa sendo ninguém e alguém diferente pra um público que quer falar comigo, me beijar, andar do meu lado, tirar foto enquanto eu danço e viver minha mentira. Todo mundo adora uma porra de uma mentira. E eu sou uma mentira gostosa pra caramba.

E vomitou nos meus pés.

– E agora vai tudo embora – eu murmurei, afagando-a nos cabelos. – Agora vai tudo embora.

E foi.

Anúncios

4 comentários em “Ela e eu”

  1. Seria muita falta de criatividade repetir o comentário da garota fósforo? Porque né. Você sempre joga as verdades assim, como um tapa na cara. (E muito bem dado)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s