Lembro das mãos de Ed sobre as minhas. Ele tinha os dedos mais longos que já vi e as unhas ligeiramente azuladas. As veias saltavam nos pulsos, roxas contra o branco de alabastro de sua pele.
Lembro dos olhos tristes dele quando sentamos juntos, naquele silêndio digno de sepulcro, ambos meio em dúvida sobre quem deveria ser o primeiro a cantar o blues. Sabíamos bem da finalidade daquele encontro. Mas, se eu pensasse bem, era como qualquer outro dos nossos encontros – porque, afinal, só lembrávamos um do outro quando a dor era grande demais para ficar guardada.
– O que aconteceu? – Ele resolveu começar, naquele tom de quem quer saber, mas tem medo. E eu tinha medo de dizer, mas queria que ele soubesse.
– Toda a dor do mundo, sou eu, sou eu! Vestida de trapos de mim – ri, débil, bêbada da minha tolice, querendo soar menos vergonhosa do que sabia que era.
– Estamos afiados hoje!
– Bastante, Ed, bastante.
Ele coçou o queixo imberbe, pensativo. Voltei minha visão para o mar que quebrava perto de nossos pés. Estava frio. Mas sempre era frio. Dei os ombros e Ed sorriu para mim.
Sorriu aquele sorriso meio nervoso de quem queria saber consolar, mas não podia.
– Eu acho que temos um problema – ele murmurou, pousando sua cabeça em meu ombro. Afaguei os seus joelhos (qual é a graça dos joelhos – eu não sei, mas foi o que pude alcançar) com as pontas dos dedos, amarga.
– Qual é o problema?
– A sua dor deságua em mim – ele riu, condoído, pousando a mão no próprio peito. – E eu sou só um rio, enquanto você é um oceano. Eu sou pequeno, você é um mundo.
– Eu não sou um oceano – tive que rir, engolindo em seco.
– Você é – ele repetiu, me impedindo de continuar. Virou-se para beijar meu rosto.
– Não sou – levantei-me de repente, coberta de areia. Derrubei-o no processo e notei que ele não se importou. – Mas eu posso ser.
Atirei-me no mar que quebrava, quebrando com ele. Enrosquei-me nas ondas que me enroscavam em abraços, sonhando com braços que nunca me teriam cativa.
Lá da areia, Ed ainda sorria. E desaguava em mim.

Anúncios

4 thoughts on “”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s