A insustentável

E eu invejo a leveza da sua culpa. Ela mal toca em você; parece que dança sobre a sua cabeça. De tão insignificante, de tão sem valor, ela volta e meia some e eu tenho certeza de que ela irá desaparecer em breve. De tão quase sem razão de ser, ela vai se esmilinguindo, vai murchando mais a cada sorriso seu.

A minha, em contrapartida, esmaga meu cérebro e crava nele uma bandeira imensa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s