Fênix

Dinamitei meu ego para me fazer caber em você. Pulverizei, liquidei, tornei minhas idiossincrasias tão minhas em bibelôs na sua estante. Saltitei para fora das minhas cinzas. Aprisionei-me noutro corpo para viver melhor nas suas leis. Fiz porque quis. Não me arrependo. Mas me sinto agora claustrofóbica. Necessitada de outro fogo que me consuma de dentro pra fora, me desgrace numa dor infinita e exploda minha carcaça pelos ares – quero outro retorno improvável, violento, excruciante e bonito. Um retorno para um novo eu (esse, sem você).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s