Cor de fogo

Quantas dores se escondem por trás desses seus cílios compridos? Você desvia os olhos como quem tem medo de falar mais do que devia e muda de assunto e ri e coça o pescoço com as unhas curtinhas e bebe mais um copo e outro e outro e outro e eu só vejo tristeza nas suas entrelinhas. Não pergunto mais do que eu acho que você quer me contar. Então você me conta de repente, na fila do ônibus, quando eu menos espero. Me faz convites com ar de quem sonha alto, de quem aperta esperanças entre dedos bem fechados. De quem morre de saudades do que não sabe bem se viveu ou idealizou. Nós dois vendo estrelinhas no teto da sala de espera. Eu não gostaria de ter que ir embora. Sinto que você me daria horas de segredos agridoces. Que me emocionaria terrivelmente entre uma e outra frase. Quantas dores empurradas para o lado naquele momento em que você me abraçou e roçou seu rosto bonito contra o meu, torto da vida, torto da genética, torto de tudo um pouco. Tantas dores minhas e suas fundidas num segundo de silêncio. Eu li seu pranto enquanto você sorria. Não espero que você entenda isso (porque nem eu entendi). Me dói sua dor tão nua atrás dessa sua fronte tão linda. Debaixo das suas piadas e provocações. Me dói você e os olhos que são fogo, destroçando as mil camadas de mim. Quantas coisas minhas te machucaram também?

Anúncios

2 thoughts on “Cor de fogo”

  1. Tá, eu não sei por onde começar. Eu queria te mandar um email, mas não achei nenhum aqui. Então vou te mandar por comentário mesmo. Acho que todos gostam de um feedback, né? Queria dizer que teus textos estão me ajudando de uma boa forma ultimamente.Talvez pra me distrair das dores, essas que eu não busco distração, mas que faço sem ao menos perceber. Eu tenho um andado por um caminho estranho pra mim ultimamente, e eu nunca me senti tão sozinha em toda a minha vida. Tem uma música de Otto que diz assim “Aqui é festa, amor. E há tristeza em minha vida”. Não falta amigos, não falta pessoas a minha volta, mas falta pessoas que entendam. A tristeza dos outros cansa, né? Enfim, escrevo mesmo só pra dizer que ler teus textos me faz bem, eu queria que alguém me lesse nas entrelinhas também. Beijo e muito amor pra ti, sempre.

    1. Escrevo eu pra te dizer que você me arrancou um sorriso imenso e me deixou uma sensação boa e doída no peito. Que coisa boa chegar aqui hoje e ver seu recado. Que coisa boa saber que a gente se entende de alguma forma. Posso fazer alguma coisa por você? Me manda uma mensagem com seu e-mail ou Facebook ou qualquer coisa que a gente bate um papo. Obrigada mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s